quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

É PRECISO CONSTRUIR E UTILIZAR OUTROS TIPOS DE MÍDIA

Autor: Dihelson Mendonça, músico e produtor musical

A Mídia não está interessada em Ética, Arte ou Cultura - Apenas Dinheiro! Por isso é preciso construir e utilizar outros tipos de mídia.

Foi-se o tempo em que o rádio e a televisão eram considerados guardiães da moralidade, em programas informativos que serviam como veículos para a propagação dos grandes valores que moldaram a nossa civilização. Mesmo fora do quadro televisivo, ainda existia postura no meio jornalístico em tentar preservar a honra, a educação, os costumes, a tradição, as artes e a cultura do povo Brasileiro. Isso funcionou até meados da década de setenta, talvez por ainda naquela época, vivermos num período de regulação dos meios de comunicação pela chamada "ditadura militar", que de qualquer forma, ainda tinha certo apreço ao velho lema da Tradição, Família e Propriedade. Isso foi algo bom, porque o público podia desfrutar de um padrão de qualidade e uma postura educativa da mídia.

A realidade hoje é algo bastante diferente. Embora não se restrinja apenas à mídia brasileira, o que tem acontecido nos últimos anos no Brasil em termos de massificação, causa espanto aos maiores observadores e críticos da sociedade de consumo.

Ao abrir o facebook nesta manhã, deparei-me com uma mensagem de um grande músico, instrumentista, da cidade de Fortaleza-CE, a reclamar que no seu programa de Ano Novo, a Rede Globo de Televisão, iria trazer como representante máximo da música produzida no Ceará, a banda "Aviões do Forró". Reclamava da grande discriminação que a mídia tem feito aos artistas de qualidade e da boa música como um todo.

Embora este instrumentista esteja coberto de razão, esquece-se que hoje em dia a grande mídia não está interessada em promover Arte e Cultura. Muito menos Ética, valores morais, etc. ... A mídia está interessada simplesmente em ganhar dinheiro, faturar alto, nem que para isso, os diretores de TV e proprietários de emissoras de rádio precisem enforcar a própria mãe. A mídia se comporta como uma espécie de prostituta, onde quem paga mais, tem vez. Isso vale também para as posturas políticas, para a Música e para todas as outras atividades humanas.

A verdade é que não se pode mais usar qualquer informação divulgada pela imprensa como princípio de verdade. Tudo virou publicidade. Tudo pode ser vendido e é vendido. Nada aparece na TV por acaso. A mídia que aí está pertence aos grandes cartéis, aos magnatas das cercanias do poder. Quase todos os canais de TV e rádio do Brasil pertencem a alguma agremiação política, distribuídos cautelosamente pelos congressistas para os seus padrinhos, que lhes dão todo o suporte necessário a fim de que possam se perpetuar no poder.

No lado artístico, não se pode obter também, qualquer juízo de valor pelo que aparece na televisão brasileira e no rádio. Tudo virou um imenso mercado, onde inescrupulosos e ávidos proprietários de bandas de forró eletrônico, Funkeiros de rua, Axé Music e todo tipo de lixo cultural de fácil assimilação, empurrem goela abaixo de um povo massificado e moldado desde a infância em valores falsos.

O que se pode esperar de uma sociedade onde milhões zumbis seguem fielmente a cartilha dos cartolas da TV brasileira, a última dança de rua da Bahia, ou a última fofoca acontecida nos bastidores do BBB (Big Brother Brasil)? O que se pode esperar de um povo que permitiu que seus governantes relegassem a educação geral do indivíduo ao último plano?

Saiu na imprensa (E isso também é de se duvidar), que o Brasil teria ultrapassado o Reino Unido, tornando-se a sexta economia do planeta. Seria mais proveitoso se não ocupássemos a 73ª posição no IDH ( Índice de desenvolvimento humano ), atrás do Gabão (com IDHAD de 0,543), Sri Lanka (0,691) e Uzbequistão (0,549) e superássemos o Reino Unido em Educação, Saúde, Segurança e Incentivo às Artes.

Vivemos num país onde a verdadeira arte e cultura tem pouquíssimos espaços na mídia, por isso mesmo é necessário que aqueles que as produzem, comecem a repensar a estratégia, construindo e utilizando cada vez mais as mídias alternativas como a própria internet, como uma forma de interagir e de formar platéia, já que é impossível a democratização dos meios de comunicação no país, pois como se sabe, que quem tem o poder, não irá abrir mão.

Os Artistas e as pessoas que ainda possuem algum entendimento acima dessa balbúrdia desordenada que chamamos de Brasil de hoje, precisam compreender que cada um é a sua própria mídia. A tecnologia veio nesse auxílio. Podemos juntos construir um futuro melhor, se todas as cabeças pensantes se unirem no sentido de preservar e renovar os grandes valores, as artes e a cultura brasileira, e se isso não for feito com extrema rapidez e de forma ordenada, acabaremos por sucumbir num mar de besteirol, na cultura da vulgaridade que a mídia perversa impõe de forma contínua, idiotizando a massa, quando então será tarde demais, pois existirá apenas a cabeça e a cultura dos Macacos.

Fonte: Fábio Oliveira – fabioxoliveira2007@gmail.com
                                    fabioxoliveira.blog.uol.com.br/

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial