sábado, 22 de dezembro de 2012

PIB - PRODUTO INTERNO BRUTO

Autor: Mauro Velado Neto
   Ultimamente, os economistas e governos têm-se preocupado muito com o PIB do país. Vemos os governantes festejarem sorridentes ao falarem sobre o crescimento desse índice. Outros deploram que a previsão do ano “infelizmente” não será alcançada.
   O PIB, produto interno bruto, é a soma do valor de todos os bens e serviços internos em um determinado período, geralmente de um ano. É um indicador do crescimento das atividades comerciais de um país ou região.
   Atualmente, todos os dirigentes do planeta estão lamentando que em 2012 os índices previstos não serão alcançados. A média global está estimada em 2,5 de crescimento, enquanto aqui no Brasil o ministro Mântega deplorou que a projeção do PIB para este ano aponta para apenas 1,0, não obstante os malabarismos artificiais do governo, o que representa a construção de uma bolha econômica destinada a arrebentar em cima da sociedade num futuro próximo.  
   “Até quando, ó Catilina” destruirás a Terra que te abrigou?
   Os governos provam, com isso, que enxergam apenas a materialidade de suas ações. Isto é, são instrumentos econômicos que se preocupam com as materialidades da vida. Não têm a menor capacidade para se orientarem para os valores espirituais da vivência, bens que constituem, sustentam e engrandecem a própria vida.
   Observemos que o aumento do PIB corresponde a igual aumento do índice do lixo. Corresponde ao aumento do CO2 que envenena o ar que respiramos, minguando os recursos naturais limitados do planeta que já está desfalcado em 30% de sua capacidade.
   O índice do PIB em um ano é, na verdade, o acréscimo ou crescimento material por atividades econômicas. Não dão importância à melhoria ou qualidade de instrução de um povo, pois o povo nada mais é que um caldo inculto onde proliferam os vírus sociais, geralmente chamados políticos.
   Não se aquilatam o desenvolvimento intelectual e libertação mental desse povo. Isso por que têm medo de um povo mentalmente independente que recusaria ser conduzido pelo cabresto da mídia criminosa.
  Os governantes contam como grande vantagem o valor do PIB, louvando o seu aumento e lamentando a sua diminuição.
  Com o exercício do consumismo desenfreado - principalmente sem limite na área feminina -, estamos caminhando célere para a extinção da vida animada em tão belo Paraíso.
  A palavra solução é uma só: juízo. Juízo para aprender a não possuir materialidades; juízo para conhecer-se, usando a própria mente; juízo para limitar a procriação, pois o mundo já tem população superior a sete bilhões; juízo para não servir de joguete comercial; juízo para digerir com sabedoria o que acaba de ler.
 
 
 
 
 
  
 
  

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial